Educação sentimental

1. Professor de artes. Tinha um jeito de olhar para a tela que se confundia com sua própria consciência do mundo ao redor. Depois de um dia de trabalho, não conseguia se achar no meio de tantas tintas. Gastava mais meia hora por causa disso. Pegava uma por uma e partia em busca de sua tampa. Limpava, guardava. Estava chorando da última vez que eu o vi.

2. Não gosta de se expor, nem pra mim. Cabelos cacheados, passa as mãos desajeitadamente para arrumá-los, sempre depois que eu os bagunço. Organizado, é o meu oposto. Por isso ele se faz tão necessário.

3. O meu mestre, o meu pai, o meu guia. O homem que me ensinou a descobrir quem eu sou. E a parar de ter vergonha disso. Sorri quando chego, mas com os olhos. Conversa comigo desabotoando o meu casaco.

4. A minha versão masculina – só que na versão grosseira. Inteligente, culto, sabe decor as datas de todos os grandes eventos do teatro brasileiro. Mas não consegue manter uma mulher por mais de alguns meses. Pior, não consegue manter uma admiração por mais de alguns meses. Senti pena quando me admitiu que é um charlatão. Hoje sei que a escolha é dele.

5. Cabelos grisalhos. Voz macia e agradável. Tamborila com os dedos em cima da mesa quando está impaciente. Freqüentemente interrompe a conversa para se dedicar a seus pensamentos. Envergonha-se quando me vê. Não sabe direito o que dizer, principalmente ao lado da esposa. Ou os anos o fizeram mais perspicaz, ou me transformaram em peça de vidro transparente. Cortez demais, parece ter um medo constante de que alguém descubra o que não consegue adimitir: escolheu existir ao invés de viver.

6. Um jeito inconfundível de fumar sem olhar para o cigarro. Andando de um lado para o outro, no corredor ao lado de sua sala. Alguns fios de cabelos brancos denotam a idade e o peso dela. Quarenta e dois. Quarenta anos, dois filhos. Seu discurso, sempre pontuado por distrações diversas, o desenham liberal, compreensivo, experiente. Seus olhos mostram que a verdade o assustaria, como acontece com todos os outros.

Anúncios

2 Respostas para “Educação sentimental

  1. 1º: Eu estou lendo seu blog! Há! (é, eu já tô em casa… hahaha)2º: Que legal, eu sei quem são todos eles (só no último que eu não dou 100% de certeza, mas acho que acerto quem é tb). É incrível como você conseguiu captar a mistura da imagem e da essência de cada um deles e transcrever isso dessa maneira tão única que você é capaz.3º: Nada não, é que três é o número ideal, saca?

  2. Roubei o computador de casa para fazer um trabalho do Arantes, para amanhã. Passei aqui com a certeza de que encontraria um monte de textos que não teria tempo de ler, mas leria mesmo assim.Pô, se eu fosse menino me apaixonava por você só de ler este blog. =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s