Fez, faz e fará

Por que eu sempre quero aquilo que não posso ter? Será mal de geminiano ou de ser humano?

Será mesmo que ninguém merece minhas palavras? Ninguém merece mais. E ninguém dispensaria essas lágrimas com tanta facilidade.
O turbilhão do dia-a-dia pode se intrometer entre as crises sentimentais e a minha racionalização do mundo. Neste momento, os problemas pessoais desaparecem para darem lugar aos profissionais. 
É impossível, no entanto, mergulhar para sempre no trabalho. Um dia perde-se a respiração. E sair de lá é quase tão difícil quanto encarar o que tem do lado de fora.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s