Studio 60 e o ideal da televisão de qualidade

“A arte e o comércio estão brigando há séculos. Mas, eu tenho que te dizer, a arte está sendo esmagada nessa briga. Mude de canal, desligue a TV agora. Este país está sendo lobotomizado pela mesma indústria que deveria nos fazer lutar contra isso.”


Um drama sobre a arte de se fazer comédia na televisão. Mas, principalmente, de fugir da gigantesca massa de discursos vazios que invade o mundo todos os dias. Isto é Studio 60 On the Sunset Strip.

O discurso que abre este post é feito por Wes, produtor da atração, no primeiro capítulo de Studio 60. Quando uma de suas esquetes é cortada do ar porque pode ofender a audiência mais religiosa, ele se revolta contra a emissora e invade a transmissão ao vivo, pedindo para que o telespectador desligue sua TV.

“Viver com liberdade de expressão significa que, de vez em quando, você vai ser oifendido”, diz, com toda a sabedoria que um roteiro de Aaron Sorkin, o mesmo criador de The West Wing, permite à série. Brilhante, em cada frase.

Claro que, no dia seguinte, Wes está no olho da rua – e é aí que Matt e Danny, dois ex-funcionários do programa que foram demitidos anos antes exatamente pelo mesmo motivo, são convidados para retornar e colocar ordem na casa.

A partir daí, o programa acompanha a trajetória complicada dos dois para colocar no ar um produto – e uma obra de arte. As pressões da emissora, dos próprios atores, os brancos criativos desesperadores pelos quais Matt passa, os motivos que o fazem escrever, o único motivo pelo qual ele escreve melhor.

São etapas de um processo que, no todo, representa a construção de qualquer ficção. Mas que tem o mérito de situar o telespectador nesta realidade muito específica que é a produção de TV do século XXI. A indústria que, de tão limitada e simplista, foi nomeada de indústria do entretenimento.

A luta de Matt e Danny é exatamente para reverter este processo. Eles não têm a pretensão de mudar o mundo, mas se contentam em conseguir terminar cada semana com o melhor programa de humor de todos os tempos na mão. Almejando essa qualidade  utópica acima de tudo, colocando o perfeccionismo como meta de vida, eles traduzem o sucesso desta missão em prova de dignidade.

Os dois acreditam no que fazem acima de tudo. E o humor aqui é entendido não como uma ferramenta de distração da realidade. Não se faz Studio 60 para fazer rir, para fornecer ao telespectador no sofá de casa a diversão do final de semana. Faz-se Studio 60 para incomodar, para fazê-lo lembrar que, às vezes, você é ofendido. Que muitas vezes a inteligência e a ousadia de um texto são medidos pela capacidade que ele tem de ofender aqueles que fecham os olhos para a realidade. Ou, pior, que fecham os olhos para a sagacidade de uma boa ficção.

Anúncios

3 Respostas para “Studio 60 e o ideal da televisão de qualidade

  1. Excelente post Vana.

    Eles deveriam reiniciar essa maravilhosa série que acabou tão prematuramente. 😉

  2. Que saudade dessa série… =/

  3. O que Wes dizia ali, no piloto de Studio 60 pode ser levado em consideração, não necessáriamente ao que houve com a série em 2007, um ano “dark” para o elenco de produtores e atores da série!

    Uma das séries mais incriveis já feitas na história da tv, e que teve uma temporada apenas, merece um respeito de cinema, algo que jamais será esquecido!

    Aaron Sorkin é um Deus das séries de TV, isso é fato!
    E também tinha Matthew Perry, em uma performance que roubava a cena de alguns episódios, como o “FRIDAY NIGHT SLAUGHTER” que é um episódio sobre ele, e um dos melhores de Studio 60, e talvez uns dos mais bem feitos da televisão!

    Matthew Perry merecia uma indicação ao Emmy por seu Matt Albie, que deixou saudades!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s